MELANCOLIA POR CONTA DA NOVA ONDA DE HWANG WOO-SUK

 Em 12 de agosto de 2011, o professor Yamanaka Shinya, da Universidade de Kyoto, obteve uma patente norte-americana para células-tronco pluripotentes induzidas (IPS). Como o primeiro no mundo a obter essa patente, ele usou um novo método, diferente do método de extração de células-tronco embrionárias humanas, que trouxeram muitas questões éticas.

Como concorrente do Japão no mercado de bio, foi um grande movimento no lado da Coreia. Um especialista comentou que: “a frustração do Japão pelo sucesso é ainda maior, pois já havíamos experimentado uma onda de Hwang Woo-suk há alguns anos. Foi há apenas três anos, quando a tecnologia original do professor Hwang obteve reconhecimento acadêmico tanto em casa quanto no exterior, e o problema ético das células-tronco embrionárias estava se levantando. Isso se deve ao arrependimento e ao temor que temos de que, se tivéssemos feito uma escolha diferente ou tentado resolver esse problema através de uma dimensão diferente, talvez estivéssemos encarando um futuro diferente agora”. Sua observação aponta a natureza coreana de facilmente fazer julgamento e conclusão.

 

COMEÇO BRILHANTE DA HISTÓRIA DE ALI

O mentor do primeiro presidente afro-americano, Barack Obama, é o Mohammad Ali, boxeador profissional que foi selecionado como o “esportista do século 20” em 1999. Ele deixou uma frase famosa: “Flutue como uma borboleta, pique como uma abelha”. Ironicamente, o que abriu o caminho para ele se transformar em uma pessoa de renome mundial é o incidente mais doloroso que ele experimentou quando era jovem. Ele tinha doze anos quando montou sua nova bicicleta para pegar sorvete grátis em um auditório. No entanto, enquanto estava lá, sua bicicleta foi roubada. Quando ele foi para o porão do auditório chorando, Martin, um policial que ensinava boxe lá, disse a Ali para aprender boxe e ensinar aos ladrões uma lição. Em última análise, ele começou o boxe a partir daquele dia. Seu amigo próximo Allen Howard, um roteirista premiado, disse: “Quem teria pensado que uma bicicleta roubada seria a chave para o início da história de Ali Mohammad?

 

FALHA DE ARRIUS EM COMETER SUICÍDIO

O filme “Ben Hur” é uma obra-prima premiada com o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado em 1960, incluindo onze inéditos prêmios da Academia. É uma história sobre um príncipe judeu que é traído por seu bom amigo romano, Messala; vendido como um escravo onde ele salva o cônsul Arrius durante uma guerra com os piratas e é adotado como seu filho. Ele volta para casa, onde ganha a corrida de carros com Messala, após o qual ele salva sua mãe e irmã e acredita em Jesus Cristo. Uma das cenas memoráveis ​​é quando, após a guerra contra piratas, no topo de um navio quebrado, Arrius tenta cometer suicídio, pensando que perdeu a guerra. Ben Hur protege-o de cometer suicídio e, finalmente, percebem que eles na verdade ganharam uma grande vitória na guerra. O que teria acontecido se Arrius tivesse cometido suicídio apenas por julgar a situação ao seu redor?

 

IN-SENG-JI-SA, SE-ONG-JI-MA (NA VIDA, SEMPRE HÁ ALTOS E BAIXOS)

Há um famoso ditado que diz: “In-seng-ji-sa, se-ong-ji-ma”. Em uma pequena aldeia, um homem velho tinha uma égua que um dia desapareceu. Os vizinhos da aldeia vieram para consolá-lo. O velho respondeu, dizendo: “Eu deveria esperar e ver se isso é realmente algo bom ou ruim”. Não muito tempo depois, a fêmea que havia desaparecido retornou com um cavalo macho. Os vizinhos parabenizaram o velho, dizendo que isso na verdade era algo bom que lhe aconteceu. No entanto, ele respondeu que precisava esperar para ver. Os anos se passaram e um dia o filho do velho caiu enquanto montava o cavalo macho e quebrou a perna. Os vizinhos consolaram-no. Mais uma vez as palavras do velho homem eram imutáveis. Depois de algum tempo, uma guerra estourou e todos os jovens foram convocados para o serviço militar e muitos morreram no campo de batalha. No entanto, o filho do velho poderia escapar do desastre por causa de sua perna quebrada. Esta é uma história que nos ensina a não julgar facilmente algo, pois nunca se sabe o que pode acontecer no futuro.

 

QUÃO PERIGOSO É ACREDITAR EM SI MESMO

 “Todas as pessoas, independentemente de quem seja, têm o coração de acreditar em si mesmo. Mas, sem refletir cuidadosamente, pensam ser insuperáveis e acreditam somente em si mesmos. Se pudessem pensar só um pouco mais profundamente, poderiam descobrir que também têm muitos defeitos, e que também fracassaram em muitas coisas. Quando reconhecerem essas coisas, descobrirão: “Eu realmente estava errado na forma como pensava. Eu não fiz bem e não era grandioso. Fui enganado”. Ao admitir isso, elas podem claramente reconhecer quem de fato são. Antes de as pessoas descobrirem sua verdadeira imagem, elas pensam que são muito espertas e muito boas… Quando desconfia de alguém, você examina para ver se essa pessoa está falando a verdade ou não. Por outro lado, se você confia nessa pessoa, aceita qualquer coisa que ela diga. Da mesma forma, uma pessoa que acredita em si mesma não examina os seus pensamentos, simplesmente acredita que eles estão corretos.” (“Quem é você que me arrasta?” Págs.119 e 120 Autor Pastor Ock Soo Park)