Não me lembro de como passei minha primeira semana no Centro de Treinamento em Comunicação, pois nem sequer tive a chance de pensar em algo porque estava sendo torturado pelos veteranos. A partir da segunda semana, quando comecei a me acostumar, o coração de querer orar, ler a Bíblia e fazer o culto estava se desenvolvendo fortemente em meu coração. Em um certa noite de sábado, liguei para um dos meus colegas durante o tempo de descanso e testemunhei o evangelho para ele. Seu nome era Soon-jong Song, que ouviu as palavras da verdade e teve segurança de sua salvação. Mais tarde, outro amigo chamado Chang-won Kim ouviu o evangelho de mim e também recebeu a salvação. Nós três colocamos nossos corações juntos dizendo: “Vamos testemunhar o evangelho para os outros soldados recrutas e fazer o culto neste centro aos domingos.” Eu conduzia o culto e o irmão Soon-jong Song convidava os recrutas enquanto o irmão Chang, Kim, permanecia nos quartéis e cuidava das tarefas pessoais de todos nós.

Houve muitas dificuldades porque eu era um recruta e queria realizar o culto de adoração. Eles normalmente não permitiam que os recrutas saíssem para atividades religiosas mesmo nos feriados, já que havia relatórios frequentes a fazer nesses dias. Consegui a aprovação do comandante, oficial e sargento em serviço, bem como chefes de cada quartel, mas não tínhamos uma capela para cultuar. Visitávamos todos os quartéis e gritávamos: “Qualquer um que queira se juntar ao culto, venha para frente!” E cerca de cem recrutas se reuniram, mas não tínhamos lugar para cultuar. Nós fizemos o culto em um vale, na época do inverno e tremendo de frio.

Toda vez que eu terminava de pregar a Palavra, eu convidava: “Se há alguém que queira acreditar em Jesus, por favor, levante a mão e venha para frente.” E muitas pessoas vinham. Nós pregamos o evangelho do perdão do pecado. O número do povo aumentava à medida que o tempo passava de cem para duzentas a trezentas. . . . Eu pude pregar o evangelho para muitos recrutas lá.

Certa manhã, no caminho para o local da aula de treinamento daquele dia, ouvi um anúncio nos alto-falantes da sede dizendo: “Ock Soo Park da classe ROC 311! Reporte-se ao escritório da sede!” Eu me preocupei um pouco porque eles quase nunca chamam um recruta para dar boas notícias. Quando entrei no escritório da matriz, o diretor de educação que era tenente disse: “Soldado de segunda classe Park, você poderia se sentar aqui, por favor?” Meus olhos se abriram de surpresa. Um soldado de segunda classe deveria ser comandado com algumas palavras de maldição, mas este tenente muito educadamente me deu um assento.

“Soldado de segunda classe Park! O que você estava fazendo antes de entrar no exército?”

“Eu estava trabalhando como pregador.”

“Ah! Foi o que eu calculei. Eu também era zeloso antes de me juntar ao exército. Eu, no entanto, perdi toda a fé, bebendo e fumando cigarros desde que entrei no exército e finalmente me tornei igual às pessoas mundanas. Eu sempre me senti mal vivendo assim. Ontem ouvi o canto de hinos e o avistei no vale, onde vi você conduzindo o culto de adoração com uma congregação de aprendizes. Eu não consegui dormir a noite passada pensando: ‘O que eu estou fazendo, sendo um oficial, enquanto um soldado de segunda classe está fazendo as obras de Deus assim?’ Eu estava lutando muito em meu coração. Soldado de segunda classe Park! Eu gostaria de ajudar o trabalho que você está fazendo. Existe alguma maneira que eu posso ajudar?”

“Sim, oficial! Nós não temos um lugar para a adoração. Eu gostaria que o senhor nos permitisse usar uma das salas de aula.”

“Ah, isso não é difícil.”

O diretor de educação disse a um dos sargentos a seu lado.

Sargento Kim, dê uma chave do teatro 16 ao soldado de segunda classe Park para que ele possa dar o culto a qualquer hora que ele quiser.

“Foi assim que eu consegui o local do culto e pude me aproximar pessoalmente do diretor.

Ele costumava me dizer “Soldado de segunda classe Park, por favor ore por mim e pregue as Palavras para mim sempre que tiver uma chance”.

Todos os recrutas deveriam ser enviados para os acampamentos, onde são colocados em suas posições após 16 semanas de treinamento. Dois amigos e eu discutimos esse assunto. “Um de nós três tem que permanecer aqui. Quem vai liderar o culto se todos nós formos embora? Vamos orar para que pelo menos um de nós possa ficar.” Começamos a orar pedindo a Deus que permitisse que um de nós permanecesse neste acampamento para que as obras do evangelho continuassem. Depois que 16 semanas se passaram, tivemos que nos formar. Fui promovido à primeira classe no dia da formatura e fui ao diretor de educação para expressar minha gratidão.

Eu disse “Oficial! Eu realmente agradeço por me ajudar de muitas maneiras enquanto estive aqui. Estamos nos formando hoje.”

O diretor de educação disse: “Espere um minuto, soldado de primeira classe Park! Eu tenho algo para te dizer. Eu estava ciente de que você estaria se formando hoje e, na verdade, estava tentando mandar você para um bom posto. Eu estava pensando neste acampamento e naquele acampamento para você, mas cheguei a conclusão em deixar você ficar aqui, porque acho que seria útil para minha vida espiritual se você estivesse comigo. Por favor, não fique desapontado e me ajude a fazer as obras do evangelho neste acampamento. ”

“Sim senhor! Bem observado.”

Fiquei extremamente feliz quando saí do escritório. Eu estava orando a Deus para que eu pudesse permanecer e testemunhar o evangelho neste Centro de Treinamento de Comunicação, mas isso parecia impossível. Para que um recruta possa ir a um acampamento de sua escolha, ele teria que estar entre os cinco primeiros, ou ele tinha que ter o chamado “histórico especial” e eu não era nem excelente nem tinha formação. Eu fui classificado na 13a. posição quando me formei. Era impossível eu ficar no centro de treinamento de acordo com a minha pontuação. Não conseguia conter meu coração agradecido, então corri para o abrigo onde sempre me ajoelhava e orava.

“Senhor, Tu és o verdadeiro Deus vivo. Tu és o Deus vivo que nunca desaponta alguém que ore a Ti. Onde haveria outro como o Senhor? Senhor, Tu és o melhor!”

Aquele abrigo foi bem construído para isolar o som perfeitamente; Não importava o quanto eu gritasse em voz alta lá dentro, uma vez que trancasse a porta, ninguém seria perturbado. Eu orei gritando orações de agradecimento ao Senhor. Lágrimas de agradecimento indescritíveis estavam fluindo dos meus olhos. Finalmente, eu poderia passar minha vida no exército naquele centro de treinamento pela graça de Deus, testemunhando o evangelho a inúmeros soldados até que eu fosse dispensado do serviço militar.

(Trecho de Uma Semente de Mostarda do Pastor Ock Soo Park)